sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Dedilhando entrelinhas

só dedos
não são nada
mais que dedos
detidos
num continente de
corpo e delito

(dedos reclusos
não devoram
como um dedo
perito)

um bom dedo
começa na boca
e na voz
rouca
ao pé do ouvido

(um dedo só
não é dedo o bastante
se esquece de respirar)

o bom dedo
morde

o pescoço
distrito capital
nesse descaminho
é o endosso e o isqueiro
que inflama o olhar vizinho quando grita:

o bom dedo é um corpo inteiro

Um comentário: