quinta-feira, 3 de março de 2011

Nudez literária

_ Você deve ter um blog.
_ Não vim com esse dom da escrita não! Uma pena. Acho lindo. Queria saber.
_ Eu não! Essa galera que escreve não vale nada...
_ Tá falando sério?
_ (cínica, ela diz que sim)
_ haha, você tá brincando...
_ É que eu escrevo, babe. Não queria que soasse prepotente.
_ Ah, tá vendo? Te elogiei sem saber!
_ Pois então: é exatamente o tipo de elogio que eu dispenso.
_ Sendo assim, me passa o seu blog que eu avalio se vale o elogio.
_ (ela riu, com gosto) Meu blog é uma casa de família. Não abro a porta pros primeiros olhos castanhos da noite.
_ E se eles forem os últimos?
_ (gargalhada) A verdade, meu bem, é que você não tem um blog. Nada que te desnude.
Se, por acaso, tivesse, eu entenderia como uma nudez acompanhada. Mas ficar no voyerismo é mole... e não vai rolar.
_ Ah, não seja tão dura. Não curto ficar só olhando, mas, no momento, a curiosidade que você me desperta é o que tenho para oferecer.

Um comentário:

Tainá disse...

Anna, pessoas se dividem em inspiradoras e "respiradoras".