sábado, 14 de novembro de 2009

Texto para amar-elo

Tem olhos de mar calmo
a menina do cabelo amarelo
mas será tão calmo amarela?

tem sorriso claro, não amarelo
a menina do mar calmo
que nada de calma tem
e nada de alma, além

É azul, alma da menina do cabelo amarelo
porque azuis são suas janelas.

fecha a porta e
escapa ao norte,
porque o sul cercou-se
de sentinelas

foge com seu
mar azul, menina
não deixe seu amar sob qualquer guarda que diz amar-elo
a menina - ah, amarela!
você é a cura e a mazela.

O teu azul traça o caminho do horizonte
tal qual o mar
tal qual o céu
não tem final nem fonte.

O que a menina do cabelo amarelo vê
é o infinito em diamante.

deixe que se aventurem no seu mar salgado
sem elo

mas, se te atingirem o horizonte,
menina do cabelo amarelo -
quão cansado estaria esse amante! -

e uma força qualquer
te fizer corresponder a esse amarelo
ofereça um banquete,
esquente teu coração
deixe encharcar teus olhos de água doce
e dê de beber tua emoção.


T.

4 comentários:

João disse...

pasmo. não foi a Tainá que escreveu isso. Foi uma entidade que baxou em vc. rsrs'. simplesmente magnífico e totalmente diferente de qualquer coisa que eu já li sua.
preciso ler de novo e redigerir esse texto. tá muito bom

carine disse...

a garota das castanhas amou e ama mais cada vez que relê.

Bárbara,eu? disse...

Tai, você é foda. Você é foda, seus contos são fodas, mesmo não sendo contos. Foda é a palavra. É a sua palavra. Hahahaha. Eu e minha mãe estamos admirada... Você é a melhor. Continua assim! FODA. beijos

Tainá disse...

minha menina do cabelo amarelo, dei uma mudada no texto... pode, né? quase tudo o que eu escrevo é um devir mesmo.