segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

Janela aberta

Janela vejo o mundo
que o calor anuncia

Sol nascente
Flanco transparente no vidro fumê
de outrora

Janela aberta nasci eu
Fresta no canto dela, ventania
sussurros

Janela aberta nasceu ela
Vidro fumê escancarado
Porta de incêndio
Explosão

Janela aberta
Eu posso ver, coração
Tua mesa e tua fome

Um comentário:

Bárbara Gontijo disse...

porra, tainá

sou tão fã.