quinta-feira, 30 de setembro de 2010

A mão que te enlaça o pescoço

Hoje conheci a mão que te enlaça o pescoço.

Era noite sem lua pra mim e também pra você, já que ao menos o céu que me cobre é o mesmo que te deita.

Estava eu, na cama, e ela, na tela. Seu pescoço aparecia, em par. Acima dele, um imã chamado Sua Boca.
Passei os olhos pelos lábios até alcançar suas traves: naquele divisor de águas minha língua desaguou, por anos.

Hoje, não mais. Há um sorriso entre nós. A mão que te enlaça o pescoço é a mesma que estrangula nossas possibilidades, e você sorri.

Diga à Sua Boca que tudo o que me dói cabe nessa felicidade.

Um comentário:

Alê. disse...

adoro passar aqui =)